Aperte 'Enter' para buscar ou 'Esc' para sair
O Bunker de Berlim onde Hitler se matou no dia 30 de abril de 1945 – o Führerbunker.

O bunker de Hitler em Berlim

O bunker de Hitler em Berlim

O Bunker de Berlim onde Hitler se matou no dia 30 de abril de 1945 – o Führerbunker. ,

O Bunker de Berlim onde Hitler se matou no dia 30 de abril de 1945 – o Führerbunker

A história da Segunda Guerra e do nazismo são grandes atrativos turísticos de Berlim. Boa parte do turismo na cidade deve-se à sua história e aos locais autênticos deste período, que podem ser conhecidos mais profundamente com as nossas visitas guiadas em Berlim em português.

Um dos lugares mais simbólicos do final da Segunda Guerra foi o Bunker de Hitler, no qual ele passou os últimos dias de sua vida e se matou. Porém, quem vier a Berlim na expectativa de conhecer este Bunker, deverá se lembrar dos desdobramentos do pós-guerra e dos motivos pelos quais tais lugares não foram mantidos ou reconstruídos.

O Bunker de Hitler é, hoje, o lugar onde foi o Bunker de Hitler. Ou seja, materialmente ele não existe mais. E é principalmente por não existir que o local merece ser visitado: ter um entendimento mais amplo da Segunda Guerra exige um olhar para além de 1945, que considere as transformações e o significado de certos locais para a Alemanha do pós-guerra e pós-queda do Muro do Berlim.

Nosso trabalho como guias turísticos de Berlim consiste em mostrar que é preciso ir além da curiosidade de saber onde esteve o Bunker de Hitler e estimular a reflexão sobre a impossibilidade da sua existência hoje. O que não é visível e o que não é dito também nos conta muito sobre a história, e o hoje inexistente Bunker de Hitler é um dos principais exemplos, em Berlim, do quanto é difícil rememorar locais como este e do quanto podemos aprender com um lugar aparentemente ermo.

O lugar onde foi o Bunker de Hitler dificilmente renderia hoje uma foto para as redes sociais.

O QUE É UM BUNKER?

Um Bunker como o conhecemos do período da Segunda Guerra é uma construção de concreto armado que tem a função de proteção contra ataques externos. Apesar do tipo de Bunker mais conhecido ser o subterrâneo – como foi o Bunker de Hitler – havia também os Bunkers sobrelevados ou externos, de menor custo e de construção mais rápida. Havia ainda os Bunkers que não eram destinados à proteção de pessoas, mas sim destinados ao armazenamento e posteriormente à produção industrial de suprimentos para a guerra, inclusive aviões.

Além disso os Bunkers foram construídos em locais diversos e com funções diferentes, o que determinava a qualidade da sua estrutura e o investimento feito: um Bunker próximo a uma estação de metrô, pensado para ser uma proteção temporária para civis durante bombardeios aéreos, não tinha a mesma estrutura que os Bunkers do quarteirão ministerial em Berlim, que por sua vez não tinham a mesma estrutura que o Bunker de Hitler.

Durante a Segunda Guerra a construção de Bunkers se multiplicou em boa parte das cidades alemãs, especialmente em Berlim. Por ser a capital do Terceiro Reich e abrigar todo o aparato central do governo nazista, pode-se dizer que havia uma segunda Berlim no subsolo além dos visíveis bunkers externos. Ainda existem na cidade alguns remanescentes destes dois tipos de Bunker que podem ser vistos e visitados, ao contrário do Bunker de Hitler.

E para quem associa os bunkers apenas à Segunda Guerra, é bom lembrar que eles seguiram sendo construídos nas Alemanhas Oriental e Ocidental durante a Guerra Fria devido às constantes ameaças de ataques nucleares naquele período.

O Bunker de Berlim onde Hitler se matou no dia 30 de abril de 1945 – o Führerbunker.

A HISTÓRIA DO BUNKER DE HITLER

Hitler passou os últimos meses da sua vida – que coincidiram com os últimos meses da Segunda Guerra – no seu Bunker, localizado no subterrâneo do jardim da Chancelaria. Apesar de falarmos “do” Bunker de Hitler, no singular, o correto seriam “os” Bunkers de Hitler, no plural, pois eram dois.

O primeiro foi construído logo entre os anos de 1935 e 1936, pouco tempo após a chegada dos nazistas ao poder. A empresa Hochtief AG construiu na época este que foi o primeiro abrigo antiaéreo oficial. A partir de 1938 começaram as obras de extensão da antiga Chancelaria para erguer a imponente Nova Chancelaria e foi somente no início de 1943 que Hitler ordenou a construção de um segundo Bunker, que deveria resistir às bombas mais potentes dos aliados. Construído pela mesma empresa Hochtief AG e pronto no final de 1944, esta segunda construção viria a ser aquela conhecida como “o Bunker de Hitler” (Führerbunker em alemão).

O segundo Bunker era interligado ao primeiro, porém mais robusto, seguro e profundo, com cerca de oito metros de profundidade, diversos cômodos, aparelho de filtragem de ar e suprimento de energia elétrica. Com a construção do segundo Bunker, o primeiro e mais frágil, também conhecido como pré-bunker (Vorbunker em alemão), abrigou a parte de serviços administrativos e burocráticos e também a família do ministro da Propaganda Joseph Goebbels no final da guerra.

O primeiro e o segundo Bunker e as suas respectivas estruturas nos revelam muito sobre os diferentes momentos em que foram construídos: o primeiro na euforia da ascensão nazista ao poder; o segundo no início da derrota alemã na Segunda Guerra, com uma necessidade iminente de proteção efetiva contra bombardeios.

Foi no segundo Bunker que Hitler e seus funcionários mais próximos do alto escalão do governo nazista permaneceram durante a batalha final da Segunda Guerra, a Batalha de Berlim. Calcula-se que a sua última aparição fora do Bunker teria sido em 20 de março de 1945, quando ele teria saído aos jardins da Chancelaria para condecorar um grupo da juventude hitlerista e da SS.

Um mês depois, em 20 de abril de 1945, Hitler faz 56 anos dentro do Bunker, se casa com a sua companheira Eva Braun (que também estava no Führerbunker há algum tempo) e ambos se suicidam no dia 30 de abril de 1945. Seus corpos foram posteriormente queimados nos jardins da Chancelaria.

Muitas das teorias sobre uma eventual sobrevivência de Hitler se devem à impossibilidade do reconhecimento visual de seus restos mortais, porém, é praticamente uma certeza entre especialistas sobre o tema de que ele de fato se suicidou e de que seu corpo foi queimado no local.

O BUNKER DE HITLER NO PÓS-GUERRA E HOJE

Com o fim da Segunda Guerra, os prédios nazistas que ainda não haviam sido completamente destruídos por bombardeios foram colocados abaixo. É importante ressaltar o quanto a arquitetura foi um importante símbolo do poder nazista e o quanto a retirada destes símbolos da paisagem urbana também foi fundamental para marcar a vitória dos aliados. Sendo assim, não faria sentido que fossem mantidas justamente a Chancelaria e os Bunkers de Hitler, que ficaram na parte de controle soviético da cidade, posteriormente Berlim Oriental.

Parte do Bunker foi destruída pelos soviéticos em 1947, principalmente as estruturas externas de saída de emergência e a torre que fazia parte do complexo. Entretanto a destruição completa – se é que podemos chamar assim – de todo o complexo do Bunker de Hitler durou décadas.

As implosões e remoções do Bunker começaram em 1947, seguiram no final dos anos de 1950 e chegaram até o final década de 1980, quando começou a construção do conjunto habitacional de Berlim Oriental que hoje vemos no local. Não houve grandes dificuldades para a destruição do chamado pré-bunker, porém o segundo Bunker se mostrou quase indestrutível por muito tempo. Quase.

É difícil dizer o que sobrou do Bunker hoje: é provável que alguns blocos de cimento e objetos tenham permanecido no subsolo, porém é seguro afirmar que não há mais nenhuma estrutura de grande porte que remeta à arquitetura original.

Quem visitar o local hoje verá o mencionado conjunto habitacional, um estacionamento e uma pequena placa informativa sobre o Bunker de Hitler com fotos originais e textos em inglês e alemão, instalada em 2006. A discrição do lugar onde se encontrava o Bunker de Hitler contrasta com o vizinho Memorial dos Judeus Assassinados na Europa, bem perto dali.

Esta parte do centro de Berlim nos diz muito sobre memória e história e de como a Alemanha vem lidando com o seu passado. Ao contrário do que muitos pensam, não se trata absolutamente de esconder a figura de Hitler, mas de priorizar memória das vítimas que sofreram durante o governo nazista: no centro do poder daquele que outrora pretendia dominar o mundo, há hoje uma simples placa.

A poucos metros, para aqueles que foram perseguidos e brutalmente assassinados, há hoje um grande Memorial com uma enorme instalação arquitetônica e uma exposição. Isso é Berlim, hoje.

COMO CHEGAR AO LOCAL ONDE SE ENCONTRAVA O BUNKER DE HITLER

  • De metrô: linha U2, estação Mohrenstrasse; linha U55, estação Brandemburger Tor;
  • De ônibus: linhas de ônibus 200, 300, M48, ponto Wilhelmstrasse;
  • A pé: da Potsdamer Platz, do Memorial aos Judeus Assassinados na Europa ou do Portão de Brandemburgo;
  • Com os nossos tours privados de Berlim em português Berlim Imperdível ou Berlim Total você conhecerá este lugar único acompanhado de um/uma guia profissional.

Se você quer conhecer Berlim e sua história impressionante com guias profissionais, aconselhamos nossos roteiros em Berlim. São a melhor forma de descobrir a capital alemã, desde os pontos mais conhecidos a locais menos explorados.

Teremos o maior prazer em recebê-la/recebê-lo, entre em contato conosco!

Escrever um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Avaliação*